CRIACAO DE CONHECIMENTO NA EMPRESA

NONAKA,IKUJIRO/TAKEUCHI,HIROTAKA
EDITORA ALTA BOOKS

135,90

Sob encomenda
11 dias


Os autores, dois especialistas japoneses na área de administração, são os primeiros que associam o desempenho das empresas de seu país à capacidade de gerar novos conhecimentos e usá-los no desenvolvimento de produtos e tecnologias cujo êxito é manifesto.Segundo eles existem dois tipos de conhecimento: o explícito contido nos manuais e nas normas de praxe, e o tácito, que só se obtém pela experiência, e que só se comunica indiretamente por metáforas e analogias.Os gerentes norte-americanos focalizam o conhecimento explícito, enquanto os japoneses o tácito. E este, sustentam os autores, constitui o segredo de seu êxito - os japoneses aprenderam a converter o conhecimento tácito em explícito.Para explicar como se faz isso, os autores vão da filosofia grega ai zen-budismo, dos economistas clássicos aos modernos gurus da administração, ilustrando a teoria da criação do conhecimento em nível organizacional com estudos de casos extraídos de empresas como a Honda, Canon, Matsushita, NEC, Nissam, 3M e GE.A criação do conhecimento será a chave para assegurar, no futuro, a vantagem na conquista de mercados.O sucesso das empresas japonesas se deve à sua capacidade e especialização na "criação do conhecimento organizacional", difundindo-o na organização como um todo e incorporando-o a produtos, serviços e sistemas.Como as empresas japoneses utilizam-se da criação do conhecimento para transformar crises econômicas em oportunidades competitivas. O desenvolvimento de um modelo universal sobre como uma empresa deveria ser administrada, com base nas práticas gerenciais encontradas no Japão e no Ocidente. A estrutura organizacional mais propícia à criação do conhecimento. Um estudo comparativo da questão do conhecimento nas tradições filosóficas do Oriente e do Ocidente. Um novo modelo gerencial, em que os gerentes de nível médio têm o papel central, gerenciando o processo de criação do conhecimento, tomando a iniciativa de envolver tanto os gerentes em cargos altos quanto os funcionários da linha.